Ex-Barça Rafa Márquez tem bens congelados nos EUA por laços com tráfico

94

O capitão da seleção mexicana Rafa Márquez, ex-jogador do Barcelona, teve os bens congelados pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos por manter laços com o narcotráfico, informou nesta quarta-feira a entidade norte-americana.

Márquez, atual capitão da equipe mexicana Atlas, faz parte de uma lista de 22 pessoas e 43 entidades, entre elas o Grand Casino de Guadalajara e um clube de futebol, sancionados por ter alguma participação na rede do narcotráfico liderada pelo mexicano Raúl Flores Hernández, segundo o Departamento do Tesouro americano.

“O conjunto dos bens dessas pessoas, assim como das entidades, foi congelado e os cidadãos americanos estão proibidos de negociar com eles”, completou.

Ainda nesta quarta, Rafa Márquez se apresentou às autoridades do México para prestar depoimento sobre o caso.

“O senhor Rafael Márquez Álvarez se apresentou à Procuradoria Geral da República, da maneira voluntária, para prestar depoimento voluntário”, indicou breve comunicado da procuradoria.

O Tesouro americano afirma que Flores Hernández mantém vínculos com o cartel de Sinaloa, cujo ex-mandatário Joaquín ‘El Chapo’ Guzmán, um dos narcotraficantes mais poderosos do mundo, foi extraditado aos Estados Unidos em janeiro de 2017.

“Flores Hernández mantém alianças estratégicas com os líderes do cartel de Sinaloa, assim como do cartel de Jalisco Nueva Generación. Suas relações com os líderes destes carteis permitiram a Flores operar desde a década de 1980 em Guadalajara, Jalisco, e Cidade do México”, informou o comunicado.

Márquez, 38 anos, assim como o famoso cantor mexicano Julio ‘Julión’ Álvarez, são acusados de atuar em nome de Flores Hernández e de ter laços com ele há anos.

“Ambos os indivíduos têm relacionamentos há anos com Flores Hernández e atuaram como testas de ferro para ele e sua organização e mantiveram ativos em seu nome”, explicou.

As autoridades americanas lembraram que estas sanções acontecem após anos de investigações em conjunto com a autoridades mexicanas.

– ‘El Patrón’ –

Considerado pelos companheiros da seleção mexicana como ‘El Patrón’ (O Chefão), Rafa Márquez iniciou a carreira profissional em 1996 no Atlas aos 16 anos.

Três anos depois, o zagueiro disputou a Copa América-1999 e foi avistado por olheiros do Monaco, que o levaram para disputar a primeira divisão francesa.

Márquez começou assim uma trajetória de 11 temporadas no futebol europeu: quatro com o Monaco e o restante com o Barcelona, clube com o qual ganhou fama mundial e conquistou 12 títulos, entre eles a Liga dos Campeões ao lado de Ronaldinho Gaúcho.

O zagueiro também jogou na MLS (Liga norte-americana) com o New York Red Bulls, antes de voltar ao México para defender o León e realizar um sonho: ser campeão nacional em seu país (2013 e 2014).

Após disputar a Copa do Mundo do Brasil-2014, Márquez voltou à Europa aos 35 anos para jogar pelo Hellas Verona italiano.

Em 2016, o ex-jogador do Barcelona realizou um último regresso ao México para atuar no Atlas, sua primeira equipe, com o objetivo de se aposentar após a Copa do Mundo da Rússia-2018, seu quinto Mundial.

AFP

Mais notícias para você

Pela Web

loading...

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...