A Branca de Neve, o maior clássico de todos os tempos. vai movimentar o cenário literário e cinematográfico de 2012. O drama da princesa indefesa, martirizada pela inveja e salva por um protetor é o próximo destaque da Editora Évora, que reuniu contos originais, incluindo o primeiro da história, de origem italiana, escrito em 1634. A versão infantil apresentada pela Walt Disney, no filme de 1937, é bem diferente da narrativa original, que foi criada para discutir valores e conceitos morais.

Espelhos, fadas, madrastas manipuladoras, bruxas, moças indefesas e o príncipe são personagens vigentes que atuam nos contos das mais variadas regiões européias e que pontuam as histórias apresentadas nessa versão publicada pela Editora Évora, no selo Generale. Branca de Neve, em suas mais variadas origens, aborda temas como inveja, traição, ciúme, mentira, inocência, subserviência, martírio e heroísmo, tudo conduzido com todos os elementos necessários a uma boa trama.

No livro todos os contos são comentados e analisados, a fim de explicar os elementos que os compõem e suas origens. As narrativas são oriundas do folclore de países como Alemanha, Itália, Suiça, Rússia, Escócia, entre outros. São lembrados, também, os Irmãos Grimm e Charles Perrault, mas acima de tudo A Branca de Neve aparece com um perfil desconhecido pela maioria das pessoas, envolvendo histórias de tragédia, terror e suspense.

Na segunda parte do livro, o organizador e responsável pelos comentários, Alexandre Callari, comenta a personagem e relata a história de Branca de Neve em suas variações, incluindo o cinema (desde a primeira película, de 1902, até chegar aos filmes de 2012), o teatro e a música.

E como “quem conta um conto…”, o próprio Callari dá vida à uma Branca de Neve criada por ele mesmo, recontando a história da bela moça fidalga desamparada de um jeito peculiar, na terceira parte do livro.
As várias releituras do clássico Branca de Neve está disponível em todas as livrarias.

SOBRE OS AUTORES
Irmãos Grimm foram dois alemães que se dedicaram ao registro de várias fábulas infantis, ganhando assim grande notoriedade. Também deram grandes contribuições à língua alemã com um e estudos de linguística e folclore.
Giambattista Basile foi erudito e aristocrata, talentoso narrador e observador atento da cultura popular, um verdadeiro mestre-construtor para a literatura italiana.
Joseph Jacobs foi um folclorista australiano que viveu na Inglaterra. Estudou o folclore do país coletando dados para publicar os Contos do Folclore Inglês em 1890, entre eles o mais famoso: Os Três Porquinhos. Contribuiu também com a Enciclopédia Judaica. Suas outras obras incluem coleções de contos de fadas celtas, uma coleção de contos de fadas indianos, uma edição das fábulas de Esopo, e um livro de viagens.

Laura Gonzenbach foi um folclorista suíço, ativo em Messina, que recolheu os contos de fadas em uma série de dialetos europeus.
Thomas Frederick Crane era um folclorista americano, acadêmico e advogado.
Ernst Ludwig Rochholz foi historiador e folclorista alemão.
Alexandre Pushkin foi um romancista e poeta russo da era romântica que é considerado por muitos como o maior poeta russo e fundador da moderna literatura russa.
Alexandre Callari graduou-se em Letras. É escritor, tradutor, palestrante e aficionado por cinema e quadrinhos. No passado, também trabalhou com música e artes marciais.

SOBRE O LIVRO
Título: A Branca de Neve
Subtítulo: Contos inéditos
Autores: Vários autores
Assunto: suspense, drama, ficção, romance.
Preço: R$ 29,90
Páginas: 224
Formato: 16 x 23 cm
ISBN: 978-85-63993-31-1
Edição: 1ª
Acabamento: Brochura

A Branca de Neve
A Branca de Neve

Comentários