Foi divulgada pela Rede Globo a lista e perfis dos participantes da edição 2011 do programa Hipertensão. A atração, que continua sobre o comando de Glenda Koslowski, vai ao ardia 8 de setembro, logo após A Grande Família e pagará R$ 500 mil ao vencedor.

A nova edição do Hipertensão traz de novo 16 participantes, sendo 8 homens e 8 mulheres, com estilos de vida e profissões bem diferenciadas.

Veja abaixo o perfil de cada participante:

Adriana, 24 anos, acredita que está bem preparada fisicamente para enfrentar as provas. Ela faz musculação desde os 13 anos e está determinada a ir até o fim. Nas horas livres, a carioca adora ir à praia e ao teatro com os amigos. Seu maior medo é da solidão. “Quero me superar, provar que sou capaz de ganhar o prêmio e poder comprar uma casa para os meus pais. Irei até onde for preciso”, avisa a personal trainer.

Bruno tem 29 anos, é da cidade mineira de Além Paraíba, mas, atualmente, mora no Rio de janeiro. O mineiro, que trabalha na praia como vendedor, só tem folga nos dias de chuva e garante que não tem medo de bicho algum, mas não gosta de ficar sozinho. “Sempre gostei de trabalhar e isso me ensinou muito. Estou muito, muito bem preparado”, garante Bruno.

Danillo Nunes, 30 anos, exerce múltiplas funções na vida. Além de fisioterapeuta por formação, o goiano é militar, modelo e professor. Ele declara que determinação e foco são características pessoais e que nada o fará desistir da disputa. “Não é o mais forte, nem o mais resistente que se sobressai e sim o mais adaptado”, acredita Danillo.

“O único inimigo que tenho é minha própria mente”, é o que garante Fernando Jaeger, de 36 anos. O paulistano revela gostar de artes marciais e moto velocidade. Fernandão, como é conhecido entre os amigos, declara querer provar que é capaz de superar desafios. “Se você quer aquilo que nunca teve, tem que fazer aquilo que nunca fez”, filosofa.

“O Hipertensão é o clímax de tudo que eu faço e gosto de viver”. Essa é a definição de Joe, 31 anos, para a experiência que viverá no programa. Ele confessa que o excesso de confiança é um ponto fraco, mas que o seu controle mental pode fazer com que ele vença a disputa. Para Joe, uma atitude radical é “fazer o que você não conhece sem estar preparado”.

Kelly, pernambucana, de 25 anos, faz amizades muito rapidamente e prefere ser liderada para não se indispor com as demais pessoas. “Vou dar o melhor de mim em cada prova! Sou uma pessoa boa e não tenho maldades no coração”, diz a promotora de eventos que elege Fernando de Noronha como a viagem perfeita.

Larissa, de 24 anos, afirma que nas situações de “hipertensão” sempre tenta controlar a adrenalina para não perder o foco. “Estou em constante movimento, não sei ficar parada”, entrega. Lutadora profissional de Judô, Larissa já mergulhou com tubarões e pretende provar que uma mulher pode ganhar o programa. Mas, mesmo assim, a pernambucana prefere disputar as provas ao lado dos homens, pois “não aguenta frescura”.

Ficar nas alturas não vai ser nenhum problema, segundo a produtora de moda Marina Filizola, 30 anos. A paulista conta que trabalhou durante cinco anos em circo, onde se apresentava no trapézio aéreo. “Posso usar isso em meu favor”, acredita. Ela admite ter objetivos bem traçados para o jogo: “Além de testar meus limites, eu quero o dinheiro”.

Mauro, 31 anos, é operador da bolsa de valores, solteiro, tem 1,83m de altura e 87 Kg. Ele acredita que a fórmula certa para vencer o programa é ter calma no jogo. O carioca afirma estar preparado fisicamente, e que vai mandar bem nas provas que envolvem carros. “Sem saber que era impossível, ele foi lá e fez”, é a sua frase favorita.

 

Nathalia, carioca, de 27 anos, não consegue imaginar uma única situação que possa fazê-la desistir desta disputa. “Me sinto mais confortável liderando, já que sou falante e costumo ter muitas ideias e opiniões sobre todas as coisas”, confessa a dentista. Ela acredita que sua habilidade manual poderá ajudá-la no jogo. Em situações de hipertensão, prefere respirar fundo e ir com calma.

Patricia é paulistana e tem 25 anos. A vendedora se inspira na frase: “Tudo vale a pena, quando a alma não é pequena”, do poeta português Fernando Pessoa. A morena acha que merece ganhar o programa porque tem garra. Também diz ser determinada, simpática, perspicaz e dinâmica.

Polliana é brasiliense, tem 27 anos e diversos animais de estimação: cachorro, gato e peixe. Ela se considera muito vaidosa e adora tatuagem – tem 14 espalhadas pelo corpo. No jogo, a fisiculturista e tatuadora garante que vai se sair bem nas provas de força. “Prefiro liderar, mas consigo me comportar bem em grupo e creio que também possa ser liderada. Gosto de me desafiar, quero sempre ver do que sou capaz”, decreta.

Rafael, goiano, tem 23 anos e o costume de ignorar os avisos de perigo. “Entro para somar e não para ser mais um! Prefiro liderar. Para tanto, conto com minha determinação e também com alguns amuletos tatuados no meu corpo”, declara o modelo que se inspira no personagem Clark Kent – de O Super Homem!

Ramon Müller, 23 anos, é estudante de veterinária. Com 1,90 m e 85 Kg, ele acredita estar bem preparado para as provas do Hipertensão. O carioca revela o que fará para manter-se focado durante os desafios. “Tenho exemplos de superação que irão motivar a minha vitória”, diz Ramon. O estudante gosta de estar na liderança, mas não vê nenhum problema em ser liderado.

Tatiane, paulistana, tem 23 anos, oito cães (os quais chama de “meus filhos”) e acredita que vai entrar neste jogo contando somente com sua fé e determinação. “Nenhum tipo de fraqueza ou fobia vai me impedir de conquistar o prêmio”, diz a rainha de bateria que, em situações adversas, procura manter a calma e a concentração.


Thiago, 28 anos, é triatleta, mineiro e mora em Belo Horizonte. É na cidade que ele vive experiências que considera radicais. “Todos os dias pedalando e correndo pelo trânsito sinto um misto de medo, aventura e adrenalina”, conta. Thiago diz que tem um bom condicionamento físico e que entra focado em vencer o prêmio final: “É a maneira menos difícil de ganhar R$500 mil e que depende totalmente do meu esforço”.

Comentários