O jornalista Odair Braz Junior escreveu um artigo para o portal R7 com análises e comentários a respeito do VMA, premiação da MTV americana, realizado ontem.

Fãs de diversos artistas criticados arregaçaram as mangas e colocaram no ranking do Twitter a hashtag #CALABOCAR7 em protesto contra o artigo. Em meios às mensagens, há também que concorde com a opinião de Odair na qual o VMA foi um “show de horrores foi completo”.

Recentemente, uma jornalista da Folha de São Paulo passou por situação semelhante ao criticar a performance de Britney Spears em seu novo show. Qual será o próximo?

Leia o artigo do R7 na íntegra:

MTV perde o trem da história e VMA vira jardim de infância

Por Odair Braz Junior

O que é que foi o VMA, premiação anual da MTV americana, na noite deste domingo? É até meio difícil de começar a descrever o show de horrores, mas o mais indicado talvez seja iniciar pela Lady Gaga. A cantora apareceu irreconhecível vestida como um homem, com “barba” por fazer, paletó, calças, cabelos curtos pretos e cigarro pendurado na orelha. Se a intenção era chocar mais uma vez, ela não conseguiu. Provavelmente Gaga se espelhou em Tom Waits para fazer o seu “homem”, mas acabou saindo uma versão tosca do João Canabrava, personagem bebum de Tom Cavalcante. Mas o pior nem foi isso. Durante os primeiros segundos a piada teve até graça, mas a moça – e a produção – não souberam quando finalizar. O resultado é que Lady Gaga ficou ali durante todo o evento bancando o machinho. Perdeu a graça.

Outra coisa que chamou muito a atenção neste VMA é que a atração virou um jardim de infância. A impressão geral é que a cena pop atual é dominada basicamente por adolescentezinhos como Justin Bieber, Chris Brown, Selena Gomez, Miley Cyrus e por aí vai. Perto desses aqui, Beyoncé e Britney Spears são idosas. Aliás, Gaga e a MTV alçaram Britney à categoria de lenda durante o evento. É compreensível: o canal musical americano precisa desesperadamente de ídolos duradouros, coisa cada vez mais rara na velocidade que o mercado fonográfico tem hoje em dia. Ídolos de ontem como Madonna, Michael Jackson, Bon Jovi, Guns N’ Roses, Nirvana, Aerosmith, R.E.M., Red Hot Chili Peppers – que faziam a festa do canal há dez, quinze anos – foram totalmente substituídos por gente que não consegue se sustentar no topo durante cinco anos. Uns dirão que é o espelho do público da emissora, que é o que as pessoas querem ver. Na verdade é mais do que isso: a MTV foi totalmente engolida pela internet e o que ela faz hoje é reproduzir o que surge forte na rede. O canal deixou de apontar caminho e agora apenas exibe o que vira sucesso no mundo virtual. E, convenhamos, Britney Spears precisa comer muito arroz e feijão ainda para ser uma lenda musical.

As apresentações do VMA também não convenceram nesse ano. O canal promoveu algumas profanações divertidas de se ver. Bruno Mars, por exemplo, é um sujeito talentoso, dono de alguns grandes hits. Mas não poderia haver artista menos indicado para homenagear Amy Winehouse. Se a cantora inglesa não tivesse sido cremada, com certeza teria se revirado no túmulo. Outro destaque negativo da noite foi Chris Brown – que espancou Rihanna um tempo atrás – dançar ao som de Smells Like Teen Spirit, clássico do Nirvana. Kurt Cobain se revirou no caixão. Certeza.

O resumo disso tudo é que o show de horrores foi completo. Cantoras com vestidos ridículos – viu o da Miley Cyrus? E Katy Perry com um cubo enfiado na cabeça? -, rappers ainda bancando os malvados e ausência de grandes ídolos deixam claro que a MTV perdeu o bonde da história. O canal que ditava as tendências nos anos 80 e 90 não tem mais relevância. O evento serviu só para fazer a gente dormir mais tarde com aquela vergonha alheia danada.

iNFO Extra

Comentários