A estreia nacional de “Assalto ao Banco Central”, de Marcos Paulo, reuniu uma turma de atores de peso na última noite do Paulínia Festival de Cinema 2011. Lima Duarte subiu ao palco com parte da equipe do longa e brincou com o texto do teleprompter antes de falar sobre o seu personagem, o delegado Chico Amorim, “neste filme interessante sobre um fato estarrecedor”. Por estarrecedor, Lima se referiu ao roubo que, em 2005, levou R$ 164 milhões dos cofres do Banco Central de Fortaleza – sem deixar rastros -, mas depois desbaratado pela polícia.

“Estamos realizando hoje um projeto que começou há dois anos atrás, com a cara e a coragem”, contou Marcos Paulo, entre nervoso e empolgado. O diretor disse estar muito feliz por ‘botar esse filme no mundo’ em Paulínia. “Em muito pouco tempo, este se formou o festival de mais importância do país”, comentou. “Não poderia ter lugar melhor para estrear o filme”.

Outro ator veterano, Tonico Pereira, deixou seu recado: “torço muito para que os filmes brasileiros deem certo e aumentem nosso mercado de trabalho”, comentou. Além deles, Giulia Gam, Eriberto Leão, Milhem Cortaz, Hermila Guedes e Vinicius de Oliveira vieram à cidade para a estreia do longa.

Festival termina com aplausos ao público e à iniciativa de Paulínia
Marina Person e Rubens Ewald Filho subiram ao palco do Theatro Municipal para agradecer as 27 mil pessoas que em sete dias prestigiaram o Paulínia Festival de Cinema e o Paulínia Fest – que trouxe à cidade gigantes da MPB como Caetano Veloso, Gilberto Gil e Rita Lee.

“Muito obrigada a vocês que nos ajudaram a chegar onde nós chegamos em quatro anos”, agradeceu José Pavan Jr., prefeito da cidade. O secretário de cultura Emerson Alves também subiu ao palco para agradecer a todos envolvidos no crescimento do pólo cultural e cinematográfico de Paulínia. “Estes foram os melhores sete dias da minha vida”, completou.

Comentários