Roteirista e ator do programa Comédia MTV, Gui Santana, que faz sucesso com seu personagem Bomboner, é destaque da nova geração de humor da MTV. Oriundo de Penapólis, no interior de São Paulo, Gui, atuava em uma rádio local antes de ir para MTV e encantar o Brasil com seu humor refinado e seu talento. Para conhecer mais sobre a carreira de Gui Santana Marina Tavares entrevistou o ator para o Visto Livre Magazine, confira como foi o papo:

Visto Livre: Como foi o inicio de sua carreira e sua mudança para SP?

Gui Santana: Iniciei a minha carreira de humorista na minha cidade natal, Penápolis, interior de São Paulo. Foi na rádio Ativa FM que eu dei meus primeiros passos no universo da comédia. No colégio eu sempre fui o palhaço da turma, testava minhas piadas e imitações nos intervalos de aula. Tamanha popularidade que me levou a fazer parte do grupo de radialistas “caras de pau” do programa Ninguém Merece. Na época eu estudava de manhã e assim que terminava a aula, eu ia correndo pra rádio. Só não continuei por muito tempo, porque meus pais não aprovavam esse tipo de trabalho, tirar onda da cara dos outros. Acabei saindo e segui rumo a São Paulo para ingressar na faculdade de Rádio e TV.

Visto Livre: Antes de entrar na MTV, quais foram seus trabalhos anteriores?

Gui Santana: Eu participava de um programa de humor na rádio da minha cidade. Lá eu fazia imitações, passava trotes e fazia algumas piadas com situações corriqueiras. Depois entrei na faculdade de comunicações e ali desenvolvi diversos projetos de programas de rádio e sai distribuindo pelas rádios de São Paulo. Nunca me ligaram, acho que as imitações não estavam boas!

Visto Livre: Como você começou na MTV?

Gui Santana: Comecei na MTV em 2008, no programa Quinta Categoria. Na época o programa era comandado pelos VJs Cazé Peçanha e Marcos Mion, sob a direção de Júlio Piconi e Lilian Amarante. Era um show de calouros com algumas provas de improviso que todos tinham de fazer ali, ao vivo para todo o Brasil. Eu fui como calouro fazer meu número de imitações. Passei pelo crivo dos jurados Dani Calabresa, Madame Mim e Rodrigo Cáceres. A direção gostou tanto que me convidou para ser o mais novo integrante da trupe mais maluca da MTV. Em seguida participei de outros projetos na casa como Furfles on the Beach, Furfles, 15 minutos de Verão e o atual Comédia MTV.

Visto Livre: Como é gravar um Stand Up?

Gui Santana: Na comédia Stand up eu não tenho muita experiência. Não sei se tenho feeling pra isso. Não sou um comediante de stand up, mas já arrisquei alguns textos em espetáculos de outros amigos humoristas e comediantes. Esse gênero te permite escrever textos autorais, das mais inusitadas situações que você já vivenciou ou simplesmente analisou. Na hora de apresentar é sempre uma adrenalina, porque você nunca sabe qual vai ser a reação do público que pagou pra te assistir. Se a piada é boa ou ruim você já fica sabendo ali na hora, ao vivo e em cores.

Visto Livre: Como foi fazer o 15 minutos em dobro?

Gui Santana: O convite para fazer o 15 minutos de verão 2010 surgiu aos 47 do segundo tempo, já nos acréscimos! Eu acabei fazendo o papel da Dani Calabresa que na época das gravações não pôde porque estava doente. A idéia era fazer um turista de São Paulo, que se perdia no Rio de Janeiro além de só se meter em roubadas. Como eu tenho raízes interioranas, nada melhor do que interpretar um caipira na cidade maravilhosa. A gente gravou um programa em cada praia, foram dias de intensas gravações sob um sol escaldante do Rio.

Visto Livre: Como é gravar o Comédia MTV?

Gui Santana: Gravar o Comédia MTV tem sido uma das coisas mais prazerosas da minha vida. Elenco maravilhoso que mais uma vez está reunido pra desenvolver idéias bem legais e originais no quesito humor. Toda semana a gente se reúne para discutir novas esquetes, elaborar o programa e escrever os roteiros. Temos três dias de intensas gravações de estúdio e externa também. Todo mundo sempre participando, dando opiniões, ajudando uns aos outros e por isso eu não tenho o que reclamar. Adoro demais meus amigos comediantes e toda a equipe que trabalha pesado para que juntos possamos fazer um programa de qualidade.

Visto Livre: De onde você tira inspiração para escrever os roteiros e criar seus personagens?

Gui Santana: Eu procuro estar ligado a tudo o que acontece a minha volta. Leio muito jornal e revista pra saber o que anda rolando de bom e ruim no mundo inteiro. Televisão eu assisto sempre que posso, geralmente os noticiários e alguns programas milenários, que estão há séculos no ar e por incrível que pareça não mudam em nada. A internet é uma ferramenta que se faz presente a todo o momento em minha vida. Vejo muito vídeo para que eu possa ter alguma inspiração. Minhas referências são essas. Feito isso, eu já parto para a criação ou “piração” como costumo dizer.

Visto Livre: Você foi entrevistado no Programa do Jô. Como é receber o reconhecimento do seu trabalho na mídia?

Gui Santana: Olha, não tem como descrever, me sinto muito feliz e agradeço a Deus todos os dias pelo reconhecimento e pelo sucesso profissional que estou conquistando. É bom saber que tudo aquilo que eu realizo, nada é em vão. Ainda tenho muitas coisas para conquistar através de muito trabalho e sei que a estrada é comprida. Mas aos poucos eu chego lá.

Visto Livre: E como é receber o carinho do publico?

Gui Santana: Não tem nada melhor do que sentir o público. Ter a oportunidade de saber que aquilo que você está fazendo, está atingindo as pessoas de uma forma legal, bem bacana. Eu tenho certeza absoluta que todo mundo gosta de receber elogios, de ser reconhecido pelo esforço e pela garra depositada ali, independentemente da profissão que exerce. Recebo o carinho de fãs do Brasil inteiro através da internet, das viagens que faço, e principalmente nas ruas por onde ando. Escuto todo tipo de crítica, contra e a favor, tudo é muito bem-vindo.

Visto Livre: Quais são seus planos para o futuro?

Gui Santana: Quero virar milionário! Bom, já deu pra ver que para isso se tornar realidade eu tenho de escolher outra profissão. Mas meus planos são de expandir o meu trabalho na TV e fora também, em palcos pelo Brasil a fora. Quero estudar, me profissionalizar e exercitar a mente. Eu nunca penso no hoje, o presente não me satisfaz, eu sou ousado e corro atrás daquilo que quero. Sou persistente e aberto a novas oportunidades de crescer cada vez mais.

Visto Livre: Para finalizar, deixe uma dica para os que sonham em começar uma carreira de humorista como a sua.

Gui Santana: Primeiramente tem que ter dom. Não adianta você querer fazer aquilo que os outros fazem se você nasceu para fazer outro tipo de atividade. Você tem que se descobrir. Geralmente isso vem desde a infância, adolescência, pelo menos foi assim que aconteceu comigo. A princípio o meu conselho é procurar ser você mesmo, ter o seu estilo, personalidade e sempre buscar o diferencial. Quando a gente começa, se inspira em pessoas já consagradas, mas tem que tomar muito cuidado para não imitá-las. Acredito que espaço tem pra todo mundo, basta saber fazer a coisa certa e sentir muito prazer naquilo que faz, pois não é fácil.

Comentários