Estreia sábado, dia 21 de maio, às 22:15 horas TV Cultura o filme “Andaluz”, de Guilherme Motta. Baseada em fatos reais ocorridos na cidade de São Paulo, em 2008, a história fala de Andaluz (Flávio André), um carroceiro catador de material reciclável, albino, e solitário. Ele testemunha acontecimentos assombrosos no Mosteiro da Luz, quando uma parede interna do Museu de Arte Sacra é demolida para uma descoberta surpreendente.Perturbado com sua descoberta, Andaluz faz de tudo para desvendar o mistério, mas ninguém acredita num simples morador de rua. Enquanto luta para desvendar o mistério do Mosteiro, Andaluz mergulha em dúvidas e pesadelos que o fazem perceber que há uma verdade ainda maior que ele terá de enfrentar: a história de suas próprias origens, de sua própria vida.

Até onde foi possível pesquisar, nunca um albino foi protagonista de um filme. Em “Andaluz”, abre-se a possibilidade para a discussão das dificuldades especiais desse grupo, como visão subnormal e a necessidade de uso de filtro solar, deixando-os altamente propensos a problemas de pele. Tramita inclusive no Congresso lei que obriga o Estado a distribuição gratuita de filtro solar entre os portadores de albinismo.

Outro aspecto decorrente do albinismo é que muitos são afro-descendentes, o que cria um duplo preconceito, no lar e na sociedade, pois é comum o fato de rejeição paterna ao nascimento de um albino.

Assista ao trailer do filme:

 

Comentários