Belo fez show do CD ‘Pra Ser Amor’ no Citibank Hall, no Rio de Janeiro Foto: Anderson Borde/AgNews

Duas horas foi pouco para resumir a felicidade pelos 10 anos de carreira solo do cantor Belo. Na comemoração realizada no último dia, 13, no Citibank Hall, na Barra da Tijuca, o artista reinventou a melhor forma de transformar o amor em samba. Com novos acordes em grandes sucessos, Belo interpretou quase 40 músicas e provou a todos que o amor é belo.

Apesar da forte chuva que assolou a Zona Oeste da cidade, a plateia lotou a casa de espetáculos, entre os convidados, estiveram presentes, jogadores, como o lateral do Flamengo, Léo Moura que recebeu os cumprimentos do anfitrião. Muito elegante, Belo subiu ao palco de terno e gravata para apresentar o novo trabalho “Pra Ser Amor”.

Pouco antes do acender das luzes, o público pode acompanhar um breve vídeo com os principais sucessos da trajetória artística. Após essa retrospectiva, Belo apareceu entre os componentes da banda de forma triunfal, com canções do décimo trabalho. Logo relembrou as origens com sucessos como “Eternamente” que até hoje está na boca na galera. Romântico assumido, ele emocionou o público com as canções “Resumo da Felicidade”, “Nada vai nos separar”, “Incondicionalmente” e “Tempo de Aprender”.

Muito empolgado com a única apresentação no Citibank Hall, o cantor ousou em novos acordes de relíquias como “Pra Ver o Sol Brilhar”, “Direito de te amar” e “Escrito nas Estrelas”.  Em seguida, o ritmo acelerou no repertório como “Para com esse papo” e “Vício”.

Agradecendo muito a Deus pelo sucesso pessoal e profissional, Belo saiu de cena para trocar de figurino, uma hora após o início do show. Enquanto isso, ele foi muito bem representado pelo quinteto de músicos da sua banda que interpretaram antigas melodias do artista.

Superando a expectativa da plateia, o cantor voltou dos bastidores, mais descontraído e com melodias do tempo do grupo Soweto, como “Farol das Estrelas”, “Búzios e Tarô”, “Derê”. O clima de paixão continuou com a música “Tua Boca”, trilha da novela “O Cravo e a Rosa” da Rede Globo.

Embalado pelo coro do público, Belo interpretou “Dom Juan”, parabenizando as mulheres pelo pelo mês das noivas e Dia das Mães. Além disso, homenageou ainda o ícone da música popular brasileira, Milton Nascimento.

Antes de encerrar a apresentação, mais uma surpresa. Afinal, a cantora Marina Elali deu um show a parte cantando de forma impecável. Retornando todo de branco, Belo a acompanhou, interpretando a melodia “Desse Jeito é Ruim Pra Mim” e distribuiu muitas flores brancas aos fãs.

Com mais de sete milhões de álbuns vendidos em sua carreira solo, o cantor Belo que completa 37 anos de idade, no próximo domingo, dia 22, nasceu em São Paulo, mas desde 1993, quando despontou com o grupo Soweto, adotou a cidade maravilhosa como sua casa. Após as turbulências que marcaram a sua vida fora do palco, o artista que conquistou fãs no Brasil inteiro gravou dois DVDs prepara sua biografia em livro e filme.

 

Comentários