(Berlim, BR Press) – Durante o regime comunista albanês, era proibido às famílias fazerem elas mesmas justiça em caso de crime. Porém, no período de transição, entre o fim do comunismo e instalação do novo regime liberal democrático, a prática da vingança ou do olho por olho voltou a vigorar. O tema – uma história do escritor albanês Isamel Kadaré, refugiado há muitos anos na França, onde ainda vive, e na qual o cineasta Walter Salles se inspirou para fazer o filme Abril Despedaçado – deu ao filme americano The Forgiveness of Blood o Urso de Prata de Melhor Argumento, no Festival de Cinema de Berlim.

 
    O longa de Joshua Marston baseia-se neste comportamento social derivado do chamado Cânon, pelo qual, no caso de homicídio, a família do morto pode se vingar contra a família do autor do crime, excluindo-se as mulheres. Para escapar da vingança, a família pode negociar o perdão, servindo-se de um mediador encarregado de negociar junto da família atingida.
 
Atraso
 
    No interior da Albânia, numa região onde ainda se vive no passado, The Forgiveness of Blood mostra como a família de um criminoso, por questões de passagem por um caminho em propriedade privada, é obrigada a viver enclausurada sob ameaças de morte, não podendo as crianças nem mais ir à escola.
 
    O destaque do drama é como uma jovem de 15 anos, desejosa de cursar a universidade, se vê obrigada a abandonar seu sonho para assumir a manutenção da família, enquanto seu irmão precisa deixar a região para escapar da pena de morte por vingança.
 
   Um belo filme, justamente premiado.
 
(Rui Martins/Especial para BR Press)

Comentários