Como Esquecer, protagonizado por Ana Paula Arosio e Murilo Rosa, estréia nesta sexta, 28 de Janeiro, em Florianópolis. Arieta Correa, Natalia Lage e Bianca Comparato completam o elenco do filme que leva para as telas de cinema a adaptação do premiado livro de Myriam Campello, “Como Esquecer – Anotações Quase Inglesas”, um dos grandes textos da literatura brasileira contemporânea.

 
Como Esquecer aborda o tema da superação da perda de uma pessoa amada e da conseqüente busca de caminhos para superação da dor e prosseguimento da vida. Da adversidade, nasce a esperança e a constatação de como os sentimentos são mutáveis e de como o instinto de defesa do ser humano possui mecanismos, por vezes desconhecidos, que são transformadores, renovadores e podem indicar caminhos diferentes para se encontrar a felicidade.
 
Duas mulheres formam o par amoroso central que se desfaz deixando todo um deserto de lembranças e sofrimento.
 
“A história mostra conflitos e sentimentos que são comuns à maioria das pessoas. Por tratar de temas universais, como amor, morte, solidão, sexo e amizade a história ganha a imediata identificação e cumplicidade do espectador, independentemente de sua orientação sexual”, comenta a diretora Malu De Martino.
 
“Levar um filme de temática homossexual às telas é estar em total sintonia com o crescente foco de interesse das artes contemporâneas, dando sua contribuição, sem preconceitos, para a construção de uma sociedade mais igualitária”, afirma Elisa Tolomelli, produtora do filme.
 
A produção do filme é da EH Filmes, de Elisa Tolomelli, responsável pela produção de longa-metragens como Mulheres do Brasil, O Mar por Testemunha, Manobra Radical e A Menina do Lado. Elisa Tolomelli foi também produtora executiva de alguns dos mais bem sucedidos filmes brasileiros como Cidade de Deus, Central do Brasil, Lavoura Arcaica e Amores Possíveis, dentre outros.
 
Como Esquecer recebeu o Prêmio PAR – Prêmio Adicional de Renda da Ancine e apoio da Secretaria de Políticas Públicas para a Mulher. O filme será distribuído no País pela EUROPA FILMES.
 
Equipe Técnica
 
Direção: Malu De Martino
Roteiro: José Carvalho, Sílvia Lourenço, Sabina Anzuategui e Douglas Dwight
Produção: Elisa Tolomelli
Direção de fotografia: Heloisa Passos
Direção de arte: Rafael Ronconi
Figurino : Rô Nascimento
Som: Paulo Ricardo Nunes
 
Elenco Principal: Ana Paula Arosio, Murilo Rosa, Arieta Correa, Natália Lage, Bianca Comparato.
 
Elenco Secundário : Gillray Coutinho, Pierre Baitelli, Marília Medina, Larissa Honorato, Regina Sampaio, Analu Prestes, Ana Baird, Ana Kutner, Gabriela Bonomo, José Loreto, Lia Racy, Lilly Vieira, Marcelo Flores, Miriam Juvino e Roberto Lobo.
 
Sinopse
 
Júlia é uma professora universitária de 36 anos que perde o grande amor da sua vida depois de mais de dez anos de relacionamento.
 
Acostumada a viver numa espécie de “torre de marfim”, Júlia se vê obrigada a voltar a interagir com as pessoas, o que havia deixado de praticar por ter um temperamento autocentrado e por ter acreditado, nos anos de relacionamento, que sua vida se resumia ao casamento com a parceira, Antonia.
 
Sem o suporte financeiro do ex-amor, Júlia recebe apoio do melhor amigo, Hugo. Juntos, eles partem para uma nova empreitada, o aluguel de uma casa em Pedra de Guaratiba, praia mais afastada do centro do Rio.
A renda de Júlia e Hugo não é suficiente para cobrir os custos da casa. Hugo, então, convida a amiga Lisa. Sem opção, Júlia tem de aceitar a solução do amigo.
 
 
Júlia, Hugo e Lisa passam a morar juntos. Com o passar do tempo, os três compõem uma espécie de nova família composta por três personalidades singulares. A chegada de Helena, prima de Lisa, que mora no exterior, traz Júlia de volta ao campo dos sentimentos, dos afetos.
 
 
Júlia, que carrega as características de uma mulher difícil, que não sabe conviver, que não sabe ser gentil, sofre uma série de transformações a partir dos encontros com outras pessoas que também estão vivendo, cada uma a seu modo, a experiência de ter perdido algo muito importante em suas vidas.
 

Malu De Martino, diretora do longa-metragem “Mulheres do Brasil” – Prêmio Especial do Júri no Festival de Miami / 2006; Prêmio Especial do Júri no Festival de Funchal / Portugal; Prêmio de melhor Filme do Júri Popular no Festival de Campo Grande / 2006); Prêmio de Melhor Atriz coadjuvante para Dira Paes no 3 Cineport (2007) e Prêmio de Melhor Making Of no MOFF Santarém/Portugal (2007); do Documentário “Sexualidades”, com Júlia Gam – Prêmio de Melhor Filme do Júri Popular no Festival de Cuiabá/ 2004; e do Média-Metragem “Ismael & Adalgisa” , co m Christiane Torloni e Murilo Rosa – Prêmio de Melhor Filme do Júri Popular e da Crítica no Festival de Cuiabá / 2002 ; Melhor Fotografia no Festival de Recife e Melhor Direção de Arte do Festival de Vitória.
 

A produção de Como Esquecer está a cargo da EH! Filmes, que atua no mercado de produção cinematográfica há 20 anos. A empresa é dirigida por Elisa Tolomelli, produtora executiva de vários filmes da recente produção brasileira, entre os quais destacamos:
 
Cidade de Deus, de Fernando Meirelles, Lavoura Arcaica, de Luis Fernando Carvalho e Central do Brasil, de Walter Salles : Matraga, de Vinícius Coimbra, em produção, e Sonhos Roubados, de Sandra Werneck, em finalização, dentre outros.
 
Em 2006, a EH! Filmes produziu e lançou em todo o Brasil e nos Estados Unidos o longa Mulheres do Brasil, dirigido por Malu De Martino e, em 2001, co-produziu com a empresa norte-americana Nuts & Lloyd o filme Dead in the Water (No brasil se chamou Tensão em Alto Mar), estrelado por Henry Thomas e Dominique Swain e comercializado para os mercados de TV e home vídeo de todo o mundo .
 
Heloisa Passos ganhou o prêmio de melhor fotografia no Festival de Sundance – 2007, com o documentário Manda Bala e, no Festival de Gramado – 2008, com o curta Areia.
 
Heloisa tem um longo currículo como diretora de fotografia em vários curtas premiados, como Visionários, Paisagem de Meninos, Cartas da Mãe, Carranca de Acrilico Azul Piscina e O Fim do Ciúme.
 
Trabalhou em Mulheres do Brasil e no documentário Meninas, sobre pré-adolescentes grávidas do Rio de Janeiro.
 
Como diretora, assina os curtas: Do Tempo Que Eu Comia Pipoca, Caminho da Escola Paraná, Viva Volta e Osório.

Comentários