Dezembro foi o esquenta tamborim com duas apresentações do Samba Severiano no Clube Botafogo, mas já sinalizou que este será o programa bombado nas sextas-feiras do verão carioca nos meses de janeiro e fevereiro. Batizada simplesmente de Samba Severiano – pelo campo do Botafogo ser conhecido como da General Severiano e a sede, quando inaugurada, ter entrada pela Rua General Severiano – sua estreia em 03 de dezembro foi um sucesso com mais de 1.100 pessoas lotando o clube. Agora, na primeira sexta-feira de janeiro, dia 07, Moacyr Luz faz sua tradicional roda de músicos do Samba do Trabalhador, que volta na terceira semana. Em janeiro teremos as rodas:

14/01 – Paulão 7 Cordas

 

21/01 – Moacyr Luz e Samba do Trabalhador

 

28/01 – Pedro Miranda

O Samba do Trabalhador, que surgiu como uma reunião de músicos às segundas-feiras no Clube Renascença, em Vila Isabel, aproveitando o dia em que os músicos normalmente não trabalham, virou uma festa para um público cada vez mais crescente e interessado no verdadeiro samba da cidade. Depois foi a vez do “Baixo Santos Dumont” se transformar em uma febre carioca com quatro anos do Samba, Luzia. Casa lotada de fechar os portões, a laje tremendo no sapateado e amigos sambistas dando canja como Beth Carvalho e Alcione – sentada entre os músicos cantando uma hora seguida –, assim como Dudu Nobre, Arlindo Cruz, Toninho Gerais e Efso desfiando um repertório de craques. E mais o CD Renascença Samba Clube, gravado ao vivo, que a Lua Music colocou no mercado.

Para Moacyr esses encontros têm importância histórica, pois são uma continuidade dos grandes movimentos do samba como houve na época do Cacique de Ramos, quando surgiram Jorge Aragão, Zeca Pagodinho, Fundo de Quintal, Arlindo Cruz, dentre outros, e assim é possível manter uma tradição de defesa da cultura afro-brasileira. E levar esta roda para Botafogo, um dos bairros mais importantes do mundo do samba, onde nasceu Paulinho da Viola, Mauro Duarte e Walter Alfaiate, por exemplo, mostra que o samba é apartidário – não tem clube. "Severiano tem outra paisagem, mas mantém a batucada", avisa Moacyr.

No repertório, composições próprias e em parcerias como Cabô, Meu Pai (Moacyr Luz/Aldir Blanc e Luiz Carlos da Vila), Saudades da Guanabara (Moacyr/Aldir e Paulo Cesar Pinheiro), Pra que  Pedir Perdão? (Moacyr/Aldir), Vida da Minha Vida (Moacyr/Sereno) e mais músicas que vão do repertório de Zeca Pagodinho a Cartola, de João Nogueira a Paulinho da Viola, passando Cartola, Candeia, Elton Medeiros, Bezerra da Silva e João Nogueira, entre outros.

Acompanhando Moacyr Luz estarão Gabriel Cavalcante e Alexandre Nunes, ambos no cavaquinho e voz, Nilson Visual, no surdo, Daniel Neves, no violão 7 cordas, e Álvaro Santos, Marquinho China, Luiz Augusto e Junior de Oliveira na percussão.

 

 

 

Serviço:

Show:   Moacyr Luz & Samba do Trabalhador na roda de Samba Severiano no Clube Botafogo

Local:    Clube Botafogo (Av. Venceslau Brás, 72 – Botafogo – Informações: 2524-3881)

Datas:   dia 07 de janeiro e segue todas as sextas-feiras até fevereiro

Horário: 21h – início com DJ e 22h – início Roda de Samba com previsão término às 02h30

 

Preço:   R$ 20,00 e R$ 15,00 para lista amiga e sócios do Botafogo

 

Capacidade: 600

 

Classificação: 16 anos

Comentários