Grandes nomes da música brasileira prestigiaram na última noite (terça-feira) a primeira edição do Prêmio de Música Digital. Com as presenças de Ivete Sangalo (com três indicações, mas nenhum prêmio), Milton Nascimento, Otto, Céu, Restart, Pato Fu, Carlinhos Brown, Martinho da Vila, Margareth Menezes, entre outros, a cerimônia de premiação foi realizada no Teatro Oi Casa Grande, no Rio de Janeiro.


Curiosamente, a festa foi apresentada por um mestre de cerimônias virtual. Chamada Nani Mobile, a apresentadora chamou a atenção do público para o problema da pirataria na internet, pedindo um engajamento maior de todos na luta pela venda legal de canções na rede.

Como tem acontecido na maioria dos prêmios musicais em 2010, o grupo Restart foi um dos destaques do evento, ganhando o troféu “Revelação”, na categoria “Voto Popular”. Outro fenômeno teen do ano, o cantor Luan Santana teve seu sucesso “Meteoro” escolhido como a “Música do Ano”. Já a banda Móveis Coloniais de Acaju recebeu o prêmio de “Artista do Ano”.

Na categoria “Reconhecimento Digital”, o grupo Skank ganhou como “Artista Mais Engajado” e o Terra Sonora foi a empresa premiada por ter dado seu apoio à música digital e promover iniciativas para a venda de conteúdo digital legalizado.

Já na categoria “Vendas”, os ganhadores foram Pitty (“Música de Rock Mais Vendida”, com “Me Adora”), Exaltasamba (“Valeu” foi a “Música de Samba e Pagode Mais Vendida”), Victor & Leo (com “Borboletas”, como “Música Pop Mais Vendida”), Marcelo D2 (“Desabafo”, como “Música Urbana”), João Bosco & Vinicius (“Chora, me Liga”, como “Música Regional”), novamente Luan Santana (“Meteoro”, como “Música Sertaneja”), Régis Danese (“Faz um Milagre em mim”, como “Música Religiosa”) e Maria Gadú (“Shimbalaiê”, como “Música de MPB”).

O destaque internacional da premiação foi a norte-americana Beyoncé, ganhadora com a canção “Halo” das categorias “Música Mais Vendida Internacional” e “Música Mais Vendida do Ano”.

Outro destaque da noite foi a homenagem concedida a Gilberto Gil, por ser pioneiro nas investidas digitais da música brasileira, com a canção “Pela Internet”, lançada em 1997 e inspirada no samba de 1916 “Pelo Telefone” (do compositor Donga). Gil também não compareceu à cerimônia, mas gravou uma versão da música para a festa, transmitida em vídeo.

Comentários