O Brasil vive um momento muito fértil na música contemporânea. Artistas de várias partes do país estão criando novos sons a cada dia. Com o advento da internet, a comunicação entre eles ficou mais fácil, assim como a divulgação e a influência de um trabalho artístico no outro.

Pensando nessa diversidade, o Centro Cultural Banco do Brasil realiza o projeto “Riffs, Grooves e Beats”, com seleção de artistas de diferentes regiões do país para representar essa riqueza musical. Seja trazendo riffs de guitarra exclusivos, seja com grooves originais ou beats inusitados, nenhum dos repertórios se encerra em um só ritmo. Pelo contrário, todos eles reinventam suas influências, misturam as referências e produzem materiais exclusivos. Com esses espetáculos, a série tem a intenção de mostrar o grande leque de criativas transformações que ocorrem com a nossa música.

 

O formato, como é tradição no CCBB, será de duas apresentações de cada banda por dia, uma na hora do almoço e outra a noite, sempre às terças-feiras. A série, idealizada pela LP Produções, tem estreia marcada para 04 de janeiro no CCBB São Paulo e traz sempre uma “dobradinha especial” por dia. A primeira apresentação acontece no dia 04 de janeiro: Cidadão Instigado e Karina Buhr. Dia 11, o som é de Edgard Scandurra e Tigre Dente Sabre. No dia 18, os acordes são de Maquinado e Retrofoguetes e, para encerrar, Nação Zumbi e Ava Rocha tocam no dia 25 de janeiro, aniversário da cidade.

 

Perfil dos Artistas:

Cidadão Instigado

 

Vivendo o melhor momento da carreira, o Cidadão Instigado lançou, em 2009, o terceiro álbum. Aclamado pela crítica “Uhuuu!” traz um rock psicodélico no qual contrastam referências como Roberto Carlos, Santana, Pink Floyd e Bee Gees. Os novos arranjos se embalam numa música brasileira contemporânea, cheia de guitarras alucinadas e letras poéticas, cantadas numa voz melódica, única. Além de Fernando Catatau (voz, guitarra e teclado), completam a banda Regis Damasceno (guitarra, guitarra sintetizada e vocal), Rian Batista (baixo e vocal), Clayton Martin (bateria e programações), Dustan Gallas (teclado e vocal) e Kalil Alaia (técnico de som e efeitos). “Uhuuu!” recebeu oi foi indicado a quase todos os prêmios da música brasileira: foi considerado o “melhor show de 2009”, pelo Guia da Folha, e o segundo melhor álbum pela Revista Rolling Stone. A banda também foi indicada ao Prêmio Multishow, Prêmio Música Digital (categoria artista do ano) e Prêmio Bravo (categoria melhor CD popular). Fora isso, o vocalista e guitarrista Fernando Catatau foi considerado “o homem do ano” pelo jornal O Globo.

 

Karina Buhr

 

Ela lançou um dos melhores álbuns do ano, “Eu Menti pra Você”, o primeiro solo depois de anos na banda Comadre Florzinha. Cantora e compositora, Karina Buhr nasceu na Bahia e foi criada em Pernambuco, onde viveu intensamente a música de raiz, as pastoras, o cavalo marinho, o maracatu. E traz de lá um colorido que faz suas músicas e letras muito especiais. No palco, Karina surpreende pelo carisma e está sempre acompanhada de uma banda de primeiro time. Ela vai tocar músicas desse álbum de estreia como “Plástico Bolha”, “Eu Menti pra Você”, “Vira Pó”, “Avião Aeroporto”, “O Pé”, “Mira Ira” e outras.

 

Edgard Scandurra

 

Considerado um dos melhores guitarristas do Brasil, Edgard Scandurra tem grande participação na história do pop/rock nacional, como fundador e integrante do Ira!, como artista solo e, também, colaborando com muitos outros artistas em diversos projetos. Para o Riffs Grooves & Beats ele preparou um show especial com repertório baseado em toda a carreira, desde o primeiro solo “Amigos Invisíveis” (que comemora 20 anos). O guitarrista toca canções dessa estreia solo, do projeto eletrônico “Benzina”, algumas do Ira! e outras inéditas. Edgard Scandurra (guitarra e voz) será acompanhado por Daniel Scandurra (baixo), Felipe Maia (baterista) e Dustan (teclado). No set list “Culto de Amor”, “Tolices”, “Eu Estava Lá”, a inédita “Não Precisa me Amar” e outras.

 

Nação Zumbi

 

Considerada a banda mais inventiva surgida no Brasil nos últimos 20 anos, a Nação Zumbi costuma impressoniar ao vivo pelo peso, pela excelência musical de seus integrantes e pelo som cheio de personalidade que sempre marcou a carreira do grupo. Nessa apresentação, Jorge du Peixe (vocal), Lúcio Maia (guitarra), Dengue (baixo), Pupillo (bateria), Toca Ogan (percussão) e Gilmar Bola 8 (percussão) mostram parte do repertório dos álbuns dessa década, “Nação Zumbi”, “Futura” e “Fome de Tudo”, além de músicas que já viraram clássicos, da época em que tocavam com Chico Science.

 

Ava Cor

 

CóR, a banda formada por Ava Rocha, Daniel Castanheira, Emiliano Sette e Nana Love, que iniciou sua trajetória na cena musical apresentando-se como AVA, lançou recentemente o álbum de estreia “O Vermelho do Vermelho”. Nele, o grupo celebra a tradição da canção brasileira e latino-americana num encontro com procedimentos sonoros contemporâneos, frutos da música digital, do cinema e da arte sonora. Sua música convida o público a transitar (ziguezagueando) por formas e movimentos que se completam num conjunto de caminhos melódicos e harmônicos em diálogo efetivo com texturas e paisagens sonoras. Uma narrativa que funde sons e palavras inspirados na sensação e na espacialidade, provocando uma percepção imagética de suas sonoridades. Em sua materialidade, essa narrativa é a união do canto de contralto belo e raro da voz de Ava, do violão e dos pedais de Emiliano, das dinâmicas e timbragens híbridas da percussão e do computador de Daniel e do violoncelo clássico e experimental de Nana, somada a uma pesquisa de texturas imagináticas que traduzem o som em imagem. O repertório é em sua maioria autoral, composto pelos próprios integrantes, além de parcerias com compositores ou poetas novos.

 

Maquinado

 

O projeto paralelo de Lúcio Maia, guitarrista da Nação Zumbi, é mistura e transformação. Era de um jeito nos primeiros shows (com três guitarras, baixo e bateria na banda), apareceu bem diferente no disco de estreia “Homem Binário” (cheio de batidas eletrônicas e participações, principalmente nos vocais), mudou outra vez sua formação de palco (para guitarra, baixo, percussão e toca-discos) e surge novamente transformado em “Mundialmente Anônimo” – o segundo e novo disco.

 

Considerado um dos melhores guitarristas de sua geração, Lúcio também está mais à vontade como cantor e já apresenta uma identidade vocal mais definida. No show ele é acompanhado por guitarra e efeitos, percussão, baixo, bateria e DJ. Com certeza uma chance de assistir ao vivo um dos projetos mais inventivos da atualidade.

 

Tigre Dente de Sabre

 

O Tigre Dentre Sabre faz um trabalho instrumental que consegue naturalmente mediar-se entre a linguagem do jazz, a elegancia do erudito, o subsolo do underground e soar como uma festa de música eletrônica.

Misturam música moderna e erudita com linguagem eletrônica e intenção física de instrumentos elétricos, acústicos e música computadorizada. Reúnem novas tecnologias em música moderna aliados à potência do Live Cinema.

Sua utilização torna-se cenário para as performances, iluminação, registro ao vivo com câmeras de segurança, vjing, metalinguagem com cinema, exploração visual, sensorial e utilização de imagens em 3D.

 

O tigre já apresentou seu show (único) em diversos festivais e é composto pelo trio de excelentes músicos: Guilherme Calzavara (bateria, trumpete, zaphoon e programações eletrônicas), Marcos L. (baixo e programações eletrônicas) e Zé Pi (guitarra).

 

Refrofoguetes

 

Criada em 2002 como uma banda de surf music, o Retrofoguetes incorporaram outras influências, Além dos já tradicionais rockabilly, polca e música circense, abriram mais espaço no repertório para elementos de mambo, tango, música italiana e swing jazz. Some a isso ainda uma ambientação na literatura, cinema e HQs de ficção científica. O resultado é música pop bem-humorada e extremamente visual, como na trilha sonora de um filme imaginário.

 

O trio, formado por Morotó Slim (guitarra), Rex (bateria) e CH (baixo), já tocou em vários festivais e casas do circuito musical do Brasi, lançou dois álbuns autorais e recebeu muitos prêmios. Entre as premiações de 2009, destaca-se a eleição como melhor show da categoria Aquáticos no Festival PIB – Produto Instrumental Bruto realizado em São Paulo, garantindo a participação da banda neste ano, e ainda a prestigiada indicação na categoria de melhor banda instrumental no VMB, Prêmio Nacional realizado pelo canal MTV Brasil. A Revista Rolling Stone incluiu o Chachachá nas lista dos 25 melhores discos nacionais de 2009. Em 2010, o portal Vírgula/UOL a banda entrou para a lista das “10 Melhores Bandas do Nordeste”.

Serviço:

RIFFS, GROOVES E BEATS

Terças-feiras – 13h e 19h30

04/01/11 CIDADÃO INSTIGADO E KARINA BUHR

11/01/11 SCANDURRA E TIGRE DENTE DE SABRE

18/01/11 MAQUINADO E RETROFOGUETES

25/01/ 11 NAÇÃO ZUMBI E AVA ROCHA

Centro Cultural Banco do Brasil

 

Rua Álvares Penteado, 112 – Centro – São Paulo

 

Informações: (11) 3113-3651 / 3113-3652

www.bb.com.br/cultura e www.twitter.com/ccbb_sp

Teatro: 125 lugares

Ingressos: R$ 6,00 e R$ 3,00 (meia-entrada)

Aceita cartões de crédito Visa ou Mastercard, cheque ou dinheiro

Horário de funcionamento da bilheteria: das 10h às 20h

Classificação indicativa: livre.

Acesso e facilidades para pessoas com deficiência física // Ar-condicionado // Loja // Café Cafezal

Estacionamento conveniado – Estapar Estacionamentos

Rua da Consolação, 228 (Edifícos Zarvos) – R$ 10,00 pelo período de 5 horas. Necessário carimbar o ticket na bilheteria do CCBB.

Transporte gratuito até as proximidades do CCBB – embarque e desembarque na Rua da Consolação, 228 (Edifício Zarvos) e na XV de novembro, esquina com a Rua da Quitanda, a vinte metros da entrada do CCBB..

Comentários