Lucas Scudeller se apresenta ao mercado fonográfico com um belo cartão de visitas, seu CD de estréia, que conta com a produção de Marco Camargo (ganhador de dois Grammy e jurado do programa “Ídolos”) e com arranjos do genial Bozzo Barretti.

O álbum composto de 10 faixas e batizado com o nome do cantor apresenta obras autorias que enchem os ouvidos na primeira audição e projetam um futuro promissor para o jovem artista.


Canções como “Deixa”, que já está sendo executada em várias rádios do país, são apenas um aperitivo do potencial do cantor.

Além de bem acompanhado na produção, Lucas foi muito feliz na escolha dos músicos que trabalharam nas gravações, casos dos irmãos Andria e Ivan Busic, respectivamente baixista e baterista da Dr. Sin, banda que sempre foi conhecida por seu talento musical.

Lucas Scudeller conversou com o Visto Livre Magazine e revelou detalhes sobre seu debute fonográfico e sobre sua arte. Confira abaixo como foi nossa conversa com o cantor que além de talentoso esbanja carisma.

Visto Livre: Como foi trabalhar com Marco Camargo?

Lucas Scudeller: O Marco é muito profissional e exigente como ele se mostra no programa de TV, apesar disso foi tudo muito prazeroso e sem problemas, dentro de uma atmosfera amigável e descontraída com todos envolvidos na gravação do álbum. Foram 4 meses de muito trabalho e ansiedade, mas recompensadores.

Visto Livre: A galera que te acompanhou nas gravações é de extrema qualidade, como escolheu o pessoal?

Lucas Scudeller: Decidi junto com o Marco que, apesar de o CD ter arranjos pop, queríamos um pegada rock. Para isso concordamos em convidar grandes rockers: os irmão Busic (Dr. Sin) foram uma escolha natural, com quem hoje cultivo uma grande amizade, e que veio como consequênca do trabalho. Indicado pelos Busic veio o Demian Tiguez (ex-Symbols, Anjos do Resgate) para as guitarras e violões e, para completar o time, o maestro Bozzo Barretti, amigo do Marco, para os teclados e todos os arranjos.

Visto Livre: Seu processo de composição tem algum ritual especial?

Lucas Scudeller: Pouco. Existem situações em que consigo me colocar em um “estado” mais voltado para compor, observando mais, sentindo mais, mas na maioria das vezes a inspiração aparece aleatoriamente, então sento e passo para acordes e letras… basicamente é isso.

Visto Livre: Você começou no metal e hardcore, o que aprendeu com o estilo e o que trouxe para sua música atual?

Lucas Scudeller: Acredito que o metal e o hard rock me trouxeram grande parte da técnica vocal que tenho hoje. Mas mudança de estilos, desde o hardcore, até hoje em dia, me ensinaram a perder o preconceito e ver que não existe uma única verdade artística ou musical. Boas idéias estão presentes em todos os estilos e é só se ter a mente e ouvido abertos para elas.

Visto Livre: Qual a sensação de ter o primeiro álbum gravado e, já de início, trabalhar com tanta gente boa?

Lucas Scudeller: Foi um prazer imenso, não tem como descrever muito bem com palavras. Resumindo: Fiquei extremamente feliz!

Visto Livre: Quais os próximos planos para a carreira?

Lucas Scudeller: Divulgar muito esse álbum de estreia nesses próximos meses, fazer shows para meus fãs e ano que vem dar continuidade em tudo isso com um novo CD!

Comentários